5 dicas para guardar dinheiro para o intercâmbio

Fazer um intercâmbio é uma das experiências mais enriquecedoras que se pode ter. Morar no exterior, aprender um idioma, conhecer uma cultura diferente e fazer novos amigos. Mas como juntar dinheiro para um intercâmbio?

Aqui vão 5 dicas de como juntar dinheiro para fazer um intercâmbio:

1. Descubra o custo total do intercâmbio

O valor que você vai precisar depende de várias coisas: o país para onde você vai, quanto tempo vai ficar, em qual casa vai ficar, se vai trabalhar ou não, se vai ter que pagar os estudos etc. Tudo isso precisa entrar na lista, além do valor da passagem e do dinheiro para viver lá. Vamos imaginar que você precise de 10 mil euros para ficar 1 ano no país escolhido. Com o euro a R$ 6,60, dá cerca de R$ 66.000.

2. Levante todos os seus gastos e faça um orçamento mensal

Liste todos os seus gastos. Todos mesmo, com a maior sinceridade. Não vale deixar de fora o cafezinho depois do almoço, o chocolate da tarde, o barzinho com os amigos, os gastos com produtos de beleza: liste tudo, para que você tenha um panorama completo de quanto você gasta e quanto pode economizar.

Lembre-se: pequenos gastos, quando somados, acabam fazendo uma grande diferença no orçamento final.

3. Classifique seus gastos e corte o que for possível

Sabendo no que você gasta, agora é preciso fazer um controle de gastos e classificar suas despesas entre essenciais e não essenciais.

As essenciais são aquelas que não podem ser cortadas, como água, luz, condomínio, prestação da faculdade, remédios, internet, etc. Já as não essenciais são aqueles pequenos luxos que nos damos, o que definem o nosso estilo de vida mas que podemos viver sem, como: tv por assinatura, serviços de streaming, academia, comer em restaurantes, deliverys, transportes privados, etc.

Pode não parecer, mas os gastos não essenciais acabam comendo boa parte do nosso orçamento. Por exemplo: se a TV por assinatura for R$ 180 por mês, os serviços de streaming somarem R$ 50 mensais, a mensalidade da academia custar R$ 120 e você gastar R$ 300 por mês comendo fora, em delivery e com transporte, somados já totalizam R$ 650 por mês.

Isto é, para uma pessoa pode fazer toda a diferença ir à academia, uma vez que ela não conseguiria abrir mão, porque é muito importante para ela. Nesse caso, a mensalidade da academia faria parte dos gastos essenciais. Ou o gasto com transporte se ela não possui carro ou o transporte público não a atende, segue o mesmo princípio.

De qualquer forma, você precisa olhar para essa planilha e cortar tudo o que for possível. Lembre-se de que você está fazendo isso por um objetivo maior, que vai trazer mais ganhos e mais satisfação para você.

4. Pense em dividir a moradia

Se você mora sozinho, pagando aluguel, pense seriamente em arrumar alguém para dividir o imóvel com você. Imagine que seu aluguel seja R$ 800 e que você pague mais R$ 200 de condomínio. Só nesse caso já seriam R$ 500 a menos por mês, caso pudesse dividir a casa com outra pessoa. Fora que vocês dividem outras despesas também, como a conta de luz e os gastos com limpeza. 

É uma bela economia.

5. Arrume uma renda extra

O mundo é um lugar cheio de possibilidades, existem inúmeras formas de você encontrar algo para ter uma renda extra. Você pode trabalhar passeando cachorros, cuidando de crianças, fazendo pequenos serviços domésticos, fazendo freelas, dando aulas, fazendo comida para vender, dirigindo para aplicativos de transporte. Faça uma autoavaliação e pense no que você sabe fazer.

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Entre em nossa lista e receba conteúdos:

Artigos recentes:

O que todo RH vai avaliar em você

Independente da sua profissão, algumas questões sempre serão consideradas por profissionais de seleção. Este artigo tem o objetivo de te ajudar a entender